Archive for the ‘Sociedade’ Category

Copa 2014: Silêncio das caxirolas: o chocalho de Carlinhos Brown está proibido

maio 27, 2013

Mais um exemplo de INTERVENÇÃO artificial, individual e encomendada que não dá certo. Vamos caminhar de forma simples e natural em um país com uma rica cultura popular!

VEJA.com: O silêncio das caxirolas: chocalho de Brown está proibido – Esporte – Notícia – VEJA.com.

 

Anúncios

Um novo ano, um novo Recife: dez desejos para o futuro próximo

dezembro 31, 2012

O novo ano de 2013 está à porta. E com ele uma nova administração municipal para a cidade do Recife. Aqui coloco dez desejos. Meus desejos individuais como habitante dessa cidade onde nasci e que me proporcionou grandes momentos. Desejos para o novo prefeito, vice-prefeito – GERALDO JULIO e LUCIANO SIQUEIRA – e sua equipe mas, e principalmente, desejos para a cidade e sua gente.

Em primeiro lugar LIMPEZA. Antes de partirmos para cuidarmos dos ratos e baratas, partamos para a limpeza. Limpeza urbana: das ruas, das calçadas, da planície e dos morros. Junto com a limpeza das nossas casas, cuidemos da limpeza dos espaços públicos. Que a Prefeitura (e a Emlurb) coloque caçambas estacionadas em pontos estratégicos para que a gente não acumule lixo nas calçadas e ruas. Que, de jeito algum, joguemos lixo nos nossos canais e rios. Pobre mas limpa!

Em segundo lugar SANEAMENTO. Não adianta falar de um rio Capibaribe ambientalmente sustentável se não falarmos de saneamento básico: um sistema de esgoto (canos enterrados, em geral de concreto) que conduzam o esgotamento sanitário das edificações (residenciais, comerciais e industriais) para sistemas de filtragem e limpeza antes de jogar os resíduos no nosso principal rio. O Capibaribe, e os seus canais afluentes, serão tão limpos quanto for o progresso na implantação do saneamento na cidade. E não vamos misturar os sistemas de esgotameto pluvial com o sanitário. Hoje, certamente, muito esgoto é jogado dentro do esgotamento pluvial. Dizer que vamos limpar o Capibaribe sem endereçar a questão do saneamento básico é balela.

Em terceiro lugar ACESSIBILIDADE. Calçadas, sinalização, acesso a transporte público pensados em termos de pessoas idosas e especiais. Isso requer cuidado com espaços públicos como praças, calçadas, prédios públicos, mas também eventos, serviços ao cidadão (presenciais e virtuais) e de forma que esses cidadãos sejam considerados (foco no cidadão como usuário da cidade).

Em quarto lugar MOBILIDADE E TRANSPORTE PÚBLICO. A mobilidade na cidade do Recife piora a cada dia. O estrangulamento está próximo. Diretrizes políticas e ações práticas são necessárias. Praticamente nenhuma evolução no sistema de transporte público é percebida nos últimos 35 anos. É preciso expandir o sistema de corredores de ônibus. É preciso expandir o metrô (uma expansão a cada 20 anos não basta!). É preciso investir numa melhor informação ao usuário usando tecnologia da informação (as principais paradas de ônibus devem ser um hub de informação sobre linhas e horários). É preciso termos ônibus conectados e com informação online a bordo sobre o status da sua linha e da viagem. É preciso termos um melhor serviço prestado pelo motorista e cobrador (ou começar a promover cobradores a motoristas, automatizando a cobrança). É preciso ampliar o sistema de ciclo-faixas e implantar ciclo-vias. É preciso termos serviços de ônibus com ar condicionado. E, se preciso for, fazer largas concessões de linhas com participação de empresas de todo o Brasil, para termos mais concorrência entre as empresas provedoras.

Em quinto lugar PLANEJAMENTO URBANO. Como anda o plano diretor do Recife? Que áreas verdes queremos preservar e são inegociáveis? O que está acontecendo com o Parque do Caiara? Desistimos dele? E a Tamarineira? E o Parque de Exposições do Cordeiro? E a Fábrica da Macaxeira? E a Fábrica da Tacaruna? E parques lineares ao longo dos nossos canais? E a pressão das construtoras por mais espaço vertical? Quais os gabaritos da cidade? Estão sendo respeitados?

Em sexto lugar SINALIZAÇÃO E ILUMINAÇÃO. A sinalização de navegação foi melhorada e hoje pode ser considerada regular (mas precisamos ir para o bom, que ainda está distante do ótimo ou do excelente). Uma implantação mais sistemática das placas de ruas pode ser um bom começo. A iluminação já foi bem melhor. Aqui regredimos. Muitas lâmpadas queimadas e áreas escuras por toda cidade.

Em sétimo lugar PUBLICIDADE FUNCIONAL. Que a nova administração não gaste rios de recursos públicos dizendo o que está fazendo. Se estiver fazendo a própria imprensa vai fazer essa divulgação. Mas, se esse direcionamento for difícil, que a publicidade seja orientada à comunicação funcional com a cidade e seus habitantes: mantenha as ruas limpas, respeite a faixa do pedestre, exerça a posse responsável de animais, conheça o endereço do seu posto de saúde, etc, são exemplos de temas para campanhas publicitárias.

Em oitavo lugar TODAS AS RUAS DA CIDADE PAVIMENTADAS. Que seja colocado em marcha um programa para calçar (asfaltar) TODAS as ruas da cidade. O plano deve ter metas específicas com a quantidade e identificação das ruas que serão calçadas em cada um dos quatro anos em que a nova administração estará responsável pela cidade. Recife tem 12 mil ruas. Cerca de 300 foram pavimentadas na última gestão. Será que a administração que agora assume não poderia pavimentar 1.200 ruas em quatro anos (300 por ano)?

Em nono lugar  PREFEITO, VICE-PREFEITO E SECRETÁRIOS NAS RUAS. Que os principais administradores da cidade circulem pela cidade, andem pelas ruas e procurem ver se algo está mudando. Que não fiquem restritos aos seus gabinetes sem desenvolver uma sensibilidade do que de fato, na prática, está acontecendo e mudando na cidade.

Em décimo lugar ESPÍRITO PÚBLICO DE SERVIR E DE EQUIPE. Que haja um trabalho INTEGRADO E ARTICULADO dos que fazem a administração municipal. Trabalho em equipe. Com muita competência na gestão: planejando, fazendo, monitorando e melhorando sempre o ciclo de gestão. Com grande capacidade de propor projetos (nas escalas estadual, federal ou internacional) e executá-los. E, sempre, nunca perdendo de vista o grande objetivo de tornar a cidade do Recife um lugar melhor para viver, visitar ou investir.

Sucesso Recife! Feliz 2013!

 

10 Desejos para 2010

janeiro 1, 2010

Bem, concluído, sem chance de atraso, o Projeto 2009, é hora de iniciar o Projeto 2010. Uma boa forma de iniciar um projeto é identificar as expectativas dos seus stakeholders. Tarefa difícil para um projeto desse porte! Mas, vamos listar pelo menos algumas expectativas desse stakeholder que vos escreve. Estimulo o leitor a fazer a sua própria lista.

1 Consumo Consciente. Que em 2010 possamos planejar melhor o nosso consumo. Com mais de seis bilhões de pessoas sobre o planeta e a capacidade de consumir sempre aumentando, não há ambiente que consiga ser sustentável. Pensar duas vezes sobre os nosso hábitos de consumo — será que precisamos mesmo deste novo sapato; será que não poderíamos passar mais tempo com meu atual aparelho celular — poderá, numa escala planetária, ajudar o nosso fragilizado planeta a ter mais tempo para se recompor ou ter uma taxa menor de consumo dos seus recursos.

2 Armas de Fogo (no Brasil). Que tenhamos em 2010 menos armas de fogo em circulação e mais armas de fogo registradas. Em 31 de dezembro de 2009 acabou o prazo para registro ou retorno de armas de fogo no Brasil. Em uma conta parcial cerca de 70.000 armas foram registradas mas somente 14.000 devolvidas.

3 Melhor Saúde Pública. Não mais recursos — mas, se for o caso, melhor ainda — mas, principalmente, mais efetividade na aplicação dos recursos destinados a melhorar a saúde pública no Brasil. Que novos modelos de gestão — como vários já em uso no Brasil — possam trazer mais alento e conforto à razão primeira do sistema: o paciente. Que mais informação seja circulada e esquemas simples de marcação de consulta, pela internet e por telefone, sejam efetivamente implantados. Que hospitais sejam realmente hospitais e não gigantescos consultórios médicos — que as unidades descentralizadas possa funcionar 24 horas e de forma perene. Que os médicos tenham tempo para os seus pacientes e não se tornem reféns de objetivos financeiros mensais a serem atingidos.

4 Pontualidade. Que em 2010 vivamos em uma sociedade mais pontual. Pontualidade não como um sistema de escravidão ao tempo mas sim como um sistema que nos permita mais organização e, como consequência, termos mais tempo “livre” e sermos mais criativos e efetivos.

5 Discurso e Prática. Menos distância entre discurso e prática no nosso dia-a-dia. Que compromissos assumidos sejam realmente realizados. Que governos tenham ações efetivas na melhoria dos países e suas populações. Que as intenções de instituições e pessoas sejam expostas com clareza nas conversas e revestidades de honestidade.

6 Corrupção e Competência. Que em 2010 governos e sociedades sejam menos corruptas e mais competentes nas suas ações e nos seus projetos. A grande perspectiva de desenvolvimento para o Brasil em 2010 pode ser ainda maior se o dreno pernicioso da corrupção for diminuído e se soubermos como escolher e conduzir os nossos projetos (conhecimento e know-how).

7 Coleta Seletiva e Reciclagem. Espero termos mais cuidado com o nosso lixo em 2010. Que possamos separar e destinar corretamente o nosso lixo doméstico separando-o nas cinco categorias básicas hoje utilizadas: papel, metal, vidro, plástico e orgânico. Depende muito de nós mesmos.

8 Menos Ansiedade e Mais Reflexão. Que em 2010 sejamos mais reflexivos e menos ansiosos: vamos amadurecer a idéia do projeto antes de iniciar o seu desenvolvimento; deixemos o celular tocando enquanto terminanos aquele banho refrescante ou conversamos com o companheiro sobre a programação do final de semana; marquemos aquela mensagem na caixa postal para decisão em tempo melhor; deixemos aquela pessoa amadurecer antes de exigir dela o que ela ainda não está pronta para dar.

9 Simplicidade e Essência. Busquemos a essência das coisas através de uma vida mais simples. Vivamos esta essência e simplicidade pois é nela que pode residir a felicidade perene e sem sobressaltos. Simples mas não mais simples!

10 Decisões Sábias e Aprendizagem. Finalmente, que em 2010 possamos tomar decisões sábias. E, se tais decisões não tiverem se revelado tão sábias então que possamos aprender com elas.

Limpeza na Rosa e Silva em plena sexta às 15h30

agosto 22, 2009

É impressionante o descaso e a falta de planejamento dos órgãos municipais no que diz respeito a intervenções urbanas que atrapalham o já caótico trânsito nas grandes cidades brasileiras.

Na sexta-feira, 21 de agosto de 2009, por volta das 15h30, vários trechos (da faixa da esquerda, pasmem!) da Av. Rosa e Silva, em Recife, estavam interditados por conta de limpeza urbana — basicamente, pelo que percebi, serviço de varrição — causando um grande congestionamento na via que é o principal corredor de acesso aos bairros de Parnamirim, Casa Forte, Casa Amarela e Apipucos.

Existe, além do desrespeito ao cidadão, uma falta de integração completa entre a Emlurb e a CTTU. Acionei de imediato o 0800 da CTTU mas, acredito que pouco tenha sido feito, dado o contexto da situação.

Vamos trabalhar com mais integração por favor!

Michael Jackson chamou o SAMU

junho 27, 2009

Pois é! Pasmem. O SAMU (a versão americana – fone 911) foi chamado para socorreu o rei do pop Michael Jackson. Sem dúvida o SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (fone 192) é um dos serviços mais louváveis implantados no Brasil nos últimos anos. Claro que muito precisa ainda ser feito para consolidar e melhorar o serviço; com o desafio adicional de não deixá-lo mergulhar em um ambiente de ineficiência progressiva e falta de gestão que contamina, com o passar do tempo, vários serviços providos pelo governo no Brasil. O pedido de ajuda ao 911, na tentativa desesperada de salvar o astro, revela o quanto o serviço de ambulâncias está no sangue da sociedade americana (e de várias outras sociedades de países desenvolvidos). O bom atendimento do serviço demonstra, acima de tudo, uma preocupação e respeito pela plenitude da vida. Vamos apoiar o SAMU para termos ele ao nosso lado nos momentos mais difíceis.

O Iron Maiden arrasou em show inesquecível

abril 5, 2009

No último dia 31 de março (2009) a banda inglesa Iron Maiden fez sua primeira (e histórica) apresentação em Recife. Um espetáculo! Goste você ou não do heavy metal, o show – Somewhere Back in Time – foi daqueles que vale cada segundo. Alguns pontos merecem destaques.

O sucesso foi por conta da qualidade dos músicos – o vocalista, os três guitarristas, o baixista e o baterista demonstraram o que é qualidade musical e sinergia de equipe no palco. O resultado foi maior do que a soma dos valores individuais de cada um dos músicos. Um excelente som e na altura certa (e pasmem: provavelmente com um volume menor do que muito show de bandas de rock nacionais e até de outros gêneros). Som no volume certo para uma qualidade musical impecável!

O show começou pontualmente às 21h. Pasmem: mesmo com um público estimado em 20 mil pessoas, uma estrutura gigantesca e um local que estava sendo usado pela primeira vez para shows deste tipo (o Jockey Clube de Pernambuco) a pontualidade foi britânica! Um exemplo de referência para todos nós: artistas e sociedade brasileiros.

A energia dos componentes da banda – alguns já com mais de cinquenta anos – foi impressionante. Como pode uma banda com 35 anos de existência e sei lá quantas apresentações manter tal energia e vitalidade. Todos drogados!! Certamente não meu amigo. E esta energia contagiou os fãs que retribuiram com muita energia e cantando, em inglês, as músicas da banda. Em particular a empatia do vocalista Bruce Dickinson com o público e Recife foi contagiante. Até uma coruja branca (coruja das torres) veio ver a banda através de um sobrevoo sobre a platéia. Fear of the dark!

A platéia foi outro show à parte. Pessoas de vários estados do Norte e do Nordeste presentes. Difícil foi achar alguem sem uma camisa (preta) do Iron Maiden. Muita vibração demonstrada na dança pulada com as mãos para o ar. E, claro, cantando com a banda. “Agora já posso morrer!” expressava bem o espírito que invadia os fãs.

Finalmente, a organização foi cuidadosa. Portões abertos logo cedo, serviço de bebida eficiente e seguro, seguranças educados e alinhados com os objetivos do show. Nem uma ocorrência de briga ou manifestação de violência. Padrão a ser seguido e que abriu o caminho para novas bandas – que tiveram papel importante na vida de tanta gente por aqui e que nunca teriam oportunidade de ve-las ao vivo – venham mostrar sua arte por estas bandas.

O que mais irrita você?

setembro 2, 2008

Em tempo de escutas telefônicas ilegais, vale uma reflexão sobre o que me deixa realmente irritado no meu dia-a-dia. O campeão ainda é ver pessoas jogando lixo pela janela dos seus carros. Melhorou muito, sem dúvidas! Mas de vez em quando, em Recife pelo menos, testemunho a cena deplorável. Outra postura muito ruim e sem nenhum senso de cidadania e coletividade: carro estacionado em cima de calçada. Como se já não bastassem os buracos e outras armadilhas nas nossas calçadas, lá vem aquele carro estacionado que nos força a passar espremidos ou, pior ainda, caminhar pelo lugar que é deles, a rua.