Archive for janeiro \01\UTC 2010

10 Desejos para 2010

janeiro 1, 2010

Bem, concluído, sem chance de atraso, o Projeto 2009, é hora de iniciar o Projeto 2010. Uma boa forma de iniciar um projeto é identificar as expectativas dos seus stakeholders. Tarefa difícil para um projeto desse porte! Mas, vamos listar pelo menos algumas expectativas desse stakeholder que vos escreve. Estimulo o leitor a fazer a sua própria lista.

1 Consumo Consciente. Que em 2010 possamos planejar melhor o nosso consumo. Com mais de seis bilhões de pessoas sobre o planeta e a capacidade de consumir sempre aumentando, não há ambiente que consiga ser sustentável. Pensar duas vezes sobre os nosso hábitos de consumo — será que precisamos mesmo deste novo sapato; será que não poderíamos passar mais tempo com meu atual aparelho celular — poderá, numa escala planetária, ajudar o nosso fragilizado planeta a ter mais tempo para se recompor ou ter uma taxa menor de consumo dos seus recursos.

2 Armas de Fogo (no Brasil). Que tenhamos em 2010 menos armas de fogo em circulação e mais armas de fogo registradas. Em 31 de dezembro de 2009 acabou o prazo para registro ou retorno de armas de fogo no Brasil. Em uma conta parcial cerca de 70.000 armas foram registradas mas somente 14.000 devolvidas.

3 Melhor Saúde Pública. Não mais recursos — mas, se for o caso, melhor ainda — mas, principalmente, mais efetividade na aplicação dos recursos destinados a melhorar a saúde pública no Brasil. Que novos modelos de gestão — como vários já em uso no Brasil — possam trazer mais alento e conforto à razão primeira do sistema: o paciente. Que mais informação seja circulada e esquemas simples de marcação de consulta, pela internet e por telefone, sejam efetivamente implantados. Que hospitais sejam realmente hospitais e não gigantescos consultórios médicos — que as unidades descentralizadas possa funcionar 24 horas e de forma perene. Que os médicos tenham tempo para os seus pacientes e não se tornem reféns de objetivos financeiros mensais a serem atingidos.

4 Pontualidade. Que em 2010 vivamos em uma sociedade mais pontual. Pontualidade não como um sistema de escravidão ao tempo mas sim como um sistema que nos permita mais organização e, como consequência, termos mais tempo “livre” e sermos mais criativos e efetivos.

5 Discurso e Prática. Menos distância entre discurso e prática no nosso dia-a-dia. Que compromissos assumidos sejam realmente realizados. Que governos tenham ações efetivas na melhoria dos países e suas populações. Que as intenções de instituições e pessoas sejam expostas com clareza nas conversas e revestidades de honestidade.

6 Corrupção e Competência. Que em 2010 governos e sociedades sejam menos corruptas e mais competentes nas suas ações e nos seus projetos. A grande perspectiva de desenvolvimento para o Brasil em 2010 pode ser ainda maior se o dreno pernicioso da corrupção for diminuído e se soubermos como escolher e conduzir os nossos projetos (conhecimento e know-how).

7 Coleta Seletiva e Reciclagem. Espero termos mais cuidado com o nosso lixo em 2010. Que possamos separar e destinar corretamente o nosso lixo doméstico separando-o nas cinco categorias básicas hoje utilizadas: papel, metal, vidro, plástico e orgânico. Depende muito de nós mesmos.

8 Menos Ansiedade e Mais Reflexão. Que em 2010 sejamos mais reflexivos e menos ansiosos: vamos amadurecer a idéia do projeto antes de iniciar o seu desenvolvimento; deixemos o celular tocando enquanto terminanos aquele banho refrescante ou conversamos com o companheiro sobre a programação do final de semana; marquemos aquela mensagem na caixa postal para decisão em tempo melhor; deixemos aquela pessoa amadurecer antes de exigir dela o que ela ainda não está pronta para dar.

9 Simplicidade e Essência. Busquemos a essência das coisas através de uma vida mais simples. Vivamos esta essência e simplicidade pois é nela que pode residir a felicidade perene e sem sobressaltos. Simples mas não mais simples!

10 Decisões Sábias e Aprendizagem. Finalmente, que em 2010 possamos tomar decisões sábias. E, se tais decisões não tiverem se revelado tão sábias então que possamos aprender com elas.